► Horários de Atendimento ◄
» 2ª feiras das 14:00 às 18:00 hs «
» 3ª à 6ª feiras das 14:00 às 20:00 hs «
» E sábados das 12:00 às 17:00 hs «
Av.Parada Pinto, 671 - Vila Nova Cachoeirinha - São Paulo - F:(011)3851-9768 //3985-7622
Agendamento de Atendimento a domicilio e Visitas a Criadouros
Clique Aqui para falar com o Dr. Shimaoka
Sejá Bem Vindo !

Roda de Trinca Ferro » 1º Trovão em - 16/09/2012

Dr.Luiz Alberto Shimaoka - CRMV 6003

A Clinica Veterinária Shimaoka representada pelo Dr. Luiz Alberto Shimaoka, veterinário CRMV 6003 a mais de 20 anos, está apto a prestar atendimento de urgência, cirurgias, consultas e atendimentos agendados em residências e criadouros , para prestar consultoria e acessoria administrativa na instalação de aviarios, criadouros e outros , para obter os melhores resultados de produtividade e qualidade na sua criação. Médico Veterinário atuante com cães, gatos, répteis e "Especialmente em Aves Exóticas e Silvestres"

A enterotoxemia

A enterotoxemia
Trata-se de uma doença agressiva que se instala de modo rápido , com a característica de produzir alta mortalidade no plantel. Afeta as aves com idade entre 2 a 12 semanas de vida (15 a 4 meses de idade , podendo se estender às vezes) , provocando a morte da parede intestinal e facilitando absorção de substância tóxicas , que agridem e alteram totalmente os órgãos internos da ave doente , levando-a à morte. É uma doença que se espalha por todo o mundo. O provável agente causador é a bactéria Clostridium perfringens. A transmissão se dá a geralmente em criatórios que facilitam a propagação da bactéria por seus “ovos”, que são chamados de esporos .Podemos .Podemos ter vários fatores que influenciam diretamente no crescimento desta bactéria , como:
Más condições de higiene de comedouros , bebedouros , gaiolas , poleiros , porta vitaminas , unhas, ,erro de manejo, na manipulação de alimentos e água; doenças concomitantes que enfraquecem as aves facilitando a contaminação ou erros alimentares que provocam a queda da resistência do corpo; parasitas internos (vermes) e externos (piolhos e sarna) que provocam uma debilidade das aves facilitando assim a instalação de novas doenças ; entre outras causas que podem facilitar a manutenção desta bactéria em nossos plantéis , provocando-se assim grandes danos às aves . A doença se caracteriza por uma intoxicação da ave por toxinas produzidas no intestinos delas próprias. Essas toxinas são absorvidas no intestino , caem na corrente sanguínea e caminham aos diferentes órgãos do corpo produzindo várias lesões que acarretam a morte da ave.
A enterotoxemia ( ou seja a intoxicação causada por absorção de oxinas produzidas no próprio intestino da ave) parece ocorrer somente quando o ambiente do interior do intestino é modificado do modo drástico.

Estas modificações podem ser ocasionadas por alterações que afetamos em nossos plantéis, como : 
- Mudança de quantidade e qualidade do alimento oferecido; 
- Diminuição da velocidade do alimento dentro do intestinos; 
- Machucados na parede dos intestinos causados por agentes agressivos como as salmoneloses, coccidioses e outros agentes; 
- E por toxinas ingeridas devido a alimentos contaminados ou mesmo deteriorados. 

As alterações no interior do intestino podem assim facilitar a invasão e instalação por clostrídios e a produção de suas temíveis toxinas.
Os sinais clínicos podem ser variados , mas normalmente temos aves que se apresentam deprimidas , podem ter ou não diarreia , ficam sonolentas “encorujadas” , têm dificuldade de comer ou parecem escolher o alimento ,podem ter tremores , a sua progressão é rápida, podendo levar a quadros conclusivos e à morte ocorre em poucas horas . A mortalidade pode chegar a incides catastróficos com mais de 50% dos filhotes morrendo em curto espaço de tempo, para não dizer horas, após a instalação da doença na ave. Algumas aves mais resistentes podem aguentar alguns dias, após serem infectadas, mas a debilidade é tanta que muitas vezes não respondem ao tratamento, vindo a falecer.
As lesões que encontramos nas aves que chegaram a óbito são variadas. Podemos encontrar aves desidratadas e com escurecimento do músculo do peito , fígado com aumento de volume e escurecido, intestino com dilatação e frágil , com fezes de cor alterada para o acastanhado e cheiro forte. Outros sinais podem ser encontrados com grandes alterações provocadas pelo quadro do intoxicação que a doença acarreta.
O diagnóstico é feito através de exames de laboratório com a detecção do agente causador , lembrando-se de descartar outras doenças que provocam sintomas parecidos , como as coccidiose e a enterite ulcerativa (doença que causa úlceras na parede intestinal).
O tratamento muitas vezes deixa a desejar pela velocidade com que a doença derruba a ave , levando-a a óbito em poucas horas. A doença não permite que o medicamento comece a funcionar no corpo da ave a tempo de controlar as bactérias , morrendo antes da ação do medicamento. 
A prevenção se dá em controle sanitário rígido e programas para a prevenção de coccidioses , salmoneloses e outras doenças que causam infecções intestinais, com isso haverá uma diminuição da chance de aparecimento desta patologia.
As mudanças na alimentação e na qualidade da água também podem ser decisivas na prevenção á doença , pois podem levar a uma alteração da flora intestinal e à consequente mudança do fluxo intestinal , facilitando o aparecimento e instalação da bactéria responsável pelo problema. O que devemos ter em mente é não permitir que o plantel esteja sensível o suficiente para que doenças, de certo modo, oportunistas como esta , provoquem danos muitas vezes irreparáveis.
Os cuidados são muitos e devem ser aplicados no dia a dia. No entanto, os passarinheiros ainda estão aprendendo a se proteger e a evitar erros fazendo com que os esforços valham a pena . Nada se compara a felicidade de vermos filhotes de nossa criação se desenvolvendo, evoluindo e se destacando. O quanto é gratificante é termos essa felicidade.
Desejo a todos aqueles que dedicam, parte do tempo que possuem, à arte da criação de nossas aves silvestres , muita sorte e sucesso.

Agradecimentos.:
» Revista Passarinheiros & Cia
» Dr Luiz Alberto Shimaoka - Clinica veterinária Shimaoka
» Veterinário atuante em Aves Exóticas e Silvestres - CRMV 6003

seja o primeiro a comentar!

Design by Antonio Silva ^